18 de jan de 2010

Haiti - acampamento internacional feminista terá o apoio da Rede

A Rede Feminista de Saúde está mobilizada para a solidariedade ao povo haitiano, vítima de dura tragédia provocada pelo terremoto que matou centenas de milhares de pessoas. Preocupado em assegurar que as mulheres haitianas terão participação no processo de reconstrução do país, o movimento feminista internacional está instalando uma base binacional na fronteira entre a República Domincana e o Haiti.

A implantação de um acampamento internacional, em Jimani, uma pequena cidade da fronteira que serve como centro de comércio entre os dois países, terá uma rádio e um centro de comunicação feminista de solidariedade pró Haiti. Além de um memorial e serviços.

A proposta está sendo debatida com movimento pela líder dominicana Sergia Galván, do conselho consultivo da Rede de Saúde das Mulheres Latinoamericanas e do Caribe. Além destes cargos Sergia Galván é diretora executiva da ONG Coletivo Mulher e Saúde da República Dominicana e fundadora da Rede de Mulheres Afrodescendentes da América Latina e Caribe. Ativista social há mais de 30 anos, atuou em entidades como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização dos Estados Americanos (OEA).Crédito da foto: revistaepoca.globo.com/.../0,,20540347,00.jpg

Esta ação vem sendo desenvolvida pela equipe da Rádio Internacional Feminista. O principal objetivo desse acampamento é buscar rearticulação do movimento de mulheres e feministas do Haiti, bem como de suas organizações, já que grande parte das lideranças morreu no terremoto e suas entidades vieram abaixo. Esta estrutura de comunicação feminista visará:

*Contribuir para desenvolver uma informação e comunicação mais fiel à realidade dos acontecimentos, do protagonismo da população e, em especial, das mulheres do Haiti;

*Contribuir para abrir canais de comunicação para que as mulheres e suas comunidades tenham voz sem sofrer censura e manipulação, podendo expressar a partir de sua dor, busca de sobrevivência o acesso à informação sobre os mínimos serviços que surgirem;

*Contribuir para fazer uma ponte informativa com infraestrutura logística mínima para que as jornalistas e comunicadoras possam realizar seus trabalhos próximos ao Haiti e ser uma referência de noticias, informações para os meios de comunicação do mundo.

*******************

LLAMADO URGENTE A LAS ORGANIZACIONES FEMINISTAS Y DE MUJERES DE AMERICA LATINA Y EL CARIBE: SE NECESITA PERSONAL MEDICO ESPECIALIZADO

Magaly Pineda e Sergia Galván enviaram na tarde de hoje, 18/01, uma mensagem, via e-mail, para a Rede Feminista de Saúde e outras organizações feministas solicitando urgente apoio médico para a população haitiana. Leia texto abaixo:

"Amigas, hermanas, aunque la ayuda empieza a fluir, cada vez es más claro que toda ella o parece ser suficiente ante la magnitud de esta la tragedia. Las misiones de muchos de sus gobiernos ya ha aterrizado en Puerto Príncipe y la impotencia y desesperación por la sed y el hambre empieza a encontrar respuestas.

En reunión celebrada hoy entre las organizaciones de sociedad civil y las organizaciones de Naciones Unidas con sede en Republica Dominicana, se acordó trabajar coordinadamente y centrarnos en la atención de los heridos que han sido trasladados a los hospitales de la zona fronteriza y en Jacmel.

Estamos tratando der garantizar el abastecimiento de estos hospitales con la ayuda solidaria de la población dominicana, que se ha volcado masivamente con donaciones de alimentos y medicinas, pero urge PERSONAL MEDICO ESPECIALIZADO:

Cirujanos/as,traumatólogos/as,radiólogos/as ,anestesiólogos/as y ortopedas, son las especialidades que se necesitan con mayor urgencia, dado el tipo de lesiones producidas ,casi siempre, por los derrumbes de viviendas y locales.

Quisiéramos solicitarles que organicen llamados y campañas, desde sus ongs y organizaciones, para que especialistas de estas aéreas consideren venir, aunque sea por un período corto, vía Santo Domingo, a prestar atención en la frontera con Haití. La Comisión de Salud se hará responsable de ayudar con el visado, en caso de que sea necesario, de recibirlos en el aeropuerto y de su traslado a la frontera.,

Hasta el momento solo podemos ofrecer carpas para el alojamiento, pero estamos identificando algunas casas para hospedaje.

¡!ESTA ES UNA SOLICITUD URGENTE ¡! La ayuda oficial está llegando a
Puerto Príncipe e incluso un barco hospital ,pero tenemos una gran demanda en la frontera y allí queremos concentrarnos, por ahora, como sociedad civil, para no duplicar esfuerzos.El personal especializado del país-que no es muy grande - está totalmente desbordado, ante la oleada de heridos que continúan llegando, muchos de ellos ya con infecciones o a los que hay que amputar..

Además de mi correo ,les incluyo aquí uno que hemos abierto para garantizar la atención permanente de las personas interesadas. El correo es <personalmedicoparahaiti@gmail.com> e incluir siempre copia a mí.

Amigas, compañeras esta es una acción solidaria concreta y urgente ¡Contamos con ustedes para promover este llamado, para motivar y apoyar el viaje de este personal médico.!! Con un gran abrazo y agradeciendo todas sus solidarias respuestas

Magaly Pineda e Sergia Galván

COMISIÓN DE SALUD "

*******************

SOS HAITI: APOIE E DEPOSITE SUA CONTRIBUIÇÃO

Vejam quais são as ASSOCIAÇÕES E FUNDAÇÕES, RECONHECIDAS, SÉRIAS, e suas contas bancárias que recebem doações para as vítimas no Haiti. CERTIFIQUE-SE NAS AGÊNCIAS, ANTES DE EFETUAR QUALQUER DEPÓSITO:

Embaixada do Haiti no Brasil

Banco do Brasil

Agência 1606-3

Conta corrente 91.000-7

CNPJ 04170237/0001-71

Cruz Vermelha

HSBC

Agência 1276

Conta corrente 14526-84

CNPJ é 04359688/0001-51


Viva Rio

Banco do Brasil

Agência 1769-8

Conta corrente 5113-6

CNPJ 00343941/0001-28


Care Internacional Brasil

Banco Real-Santander

Agência 0373

Conta corrente 5756365-0

CNPJ 04180646/0001-59


Pastoral da Criança

HSBC

Agência 0058

Conta Corrente 12.345-53

CNPJ 00.975.471/0001-15


Caixa Econômica Federal*

Agência 0647

Conta corrente 3.600-1

CNPJ 00.360.305

*As doações da Caixa serão encaminhadas à Coordenação de Assistência
Humanitária (Ocha, na sigla em inglês) pelo Programa Mundial de Alimentação (PMA) da Organização das Nações Unidas (ONU). Fonte: Uol Notícia/São Paulo, de 15.01.2010

Nenhum comentário: